domingo, 28 de junho de 2009

Irremediável



Hoje sonhei com ela
Não sei porquê
Não sei porque razão
Esta coisa não se'me larga

Fico preso, Fico irremediavelmente preso
Ao beijo, ao fugir dela
Só de escrever isto já prova
que estou aprisionado
É tão demente de mim
Ver isto e ser assim

É melhor nem pensar
É melhor voltar a ser criança

Uma criança sabe amar
Eu cá já não sei
Porque se ela me foge
Que amor tenho eu para dar?

7 comentários:

Briz disse...

Gosto tanto da maneira como tu escreves e dá para ver que tu próprio gostas de libertar o que vai aí dentro. Expressas-te, e fazes-lo bem. Só tenho que te dar os parabéns Edd, e nunca deixes de escrever :)

Algodao Doce disse...

pah adorei esse poema , foi la ao fundo xD
continua a escrever coisas bonitas que vais longe **

Bart disse...

Consegues descrever o que tu sentes e o que muitos de nós sentem, lindo mesmo. *_* adorei

És bom nisto :)
Bijous ^^

E L S A disse...

Gosto mesmo deste poema pa, sinceramente não sei como consegues escrever assim, mas consegues fazê-lo de uma maneira tão expressiva que acabas por transmitir o sentes as pessoas que o estão a ler.

: D
*

Fátima Inácio Gomes disse...

Laivos de Caeiro num, o sensacionismo de Campos noutro (Escuro Demais)... o(s) mestre(s) encontraram eco em ti, Edd?

Não que isto te diminua, ou retire autenticidade ao que escreves. Simplesmente, vem ao encontro daquilo que muitos dos comentadores já disseram... afinal, quando se faz poesia a sério, não falamos apenas de nós, mesmo quando só fala de nós. É essa a magia da Poesia: fala do essencial.

su disse...

soberbo edd , como tudo o que escreves :)

Anónimo disse...

lindo x')
byCatiaLux