sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Escuro Demais


Por favor
Quero o meu amanhã, imprevisível e discreto
Quero tecer os meus laços, passo a passo.
Dava tudo o que tenho e tudo o que não tenho
Para viver! Não, viver não, apenas:
Quero respirar e sentir todas as fragrâncias
Quero ver cada silhueta cada contraste
Quero ouvir cada som ou sinfonia
Quero sentir, apenas sentir;
Sentir-me electrocutado por todas as vibrações
Ou algo que se assemelhe

GRITAR EM GRANDES GRAVES E AGUDOS TONS!

No entanto...

Sou um fardo, um caminhante das sombras,
Sombras essas bem iluminadas
Mas parece que a pupila não consegue focar
Estarei cego?
vagueio e vagueio

Sem rumo.

Abstenho-me do cheiro do toque dos sons
Da visão nem vale a pena falar.

Está tão escuro, escuro demais.

3 comentários:

Algodao Doce disse...

lindo o texto
ve la se lanças um livro e das me um autografado LOOL
aserio , tens muito jeito*

Fátima Inácio Gomes disse...

Não será jeito... será, sim, alma. O "jeito" é algo de tão superficial que não faz justiça a algo que vem "de dentro"

analuisa disse...

nao me canso de ler o que escreves :) tao profundo. ly